Ser ou não ser só depende de você!

BeFunky Design1Passamos as nossas vidas inteiras pensando em como podemos resolver certas situações, e sempre nos deparamos com um problema muitas vezes fácil de se resolver: “Eu quero mas não consigo!”. Já parou pra pensar o quanto às vezes nos tornamos reféns das nossas próprias inseguranças? Pois é, venho pensando muito sobre isso ultimamente. De quatro anos pra cá, minha vida teve uma reviravolta muito grande, não só minha vida pessoal, mas a profissional também! Muitas coisas mudaram (sempre pra melhor) pois eu fui percebendo que deixei de me tornar vítima de mim mesmo! E não estou falando só de emagrecer, me matar de fazer exercícios, dieta e etc, estou falando de ATITUDES.
Mas como assim vítima de si mesmo? Vou explicar!
Passei três anos da minha vida sentada no sofá vendo a vida passar, reclamando de tudo e questionando o porquê de ser gordinha, sedentária e com vários problemas de saúde, não conseguia evoluir na minha carreira, relação péssima com familiares, etc . Mas o quê eu estava fazendo por mim mesma? A resposta é simples: me matando aos poucos.

Agir é sempre melhor do que falar

Sempre tive uma admiração tremenda por corredores. Via meus colegas de trabalho se reunindo aos finais de semana para disputar provas de rua e ficava fascinada com a disposição das pessoas em acordar cedo, correr e ir atrás dos seus objetivos. Tinha muita vontade de começar, mas sempre arrumava uma desculpa, ou era falta de tempo, ou era o peso que agravava os problemas nos joelhos, ou era a maldita da preguiça mesmo. E ficava só no falar mesmo: “Um dia eu vou…” Só que este dia nunca chegava. Não chegava porque eu fazia com que não chegasse.

Sofá, televisão, internet são como um câncer para a vida moderna

Já parou pra pensar em quanto tempo você designou para a simples tarefa de assistir uma novela? Eu não sei, mas deve demorar uma hora cada capítulo? Já pensou que em uma hora você pode sair pelo bairro, dar uma volta, caminhar, respirar ar fresco, interagir com outras pessoas, mesmo que seja ir até a padaria mais próxima? A gente perde muito tempo com isso e o mundo lá fora está acontecendo pra quem se arrisca. Ninguém consegue um emprego melhor reclamando do seu próprio sem investir em si mesmo. É a mesma história da galera que acorda cedo aos domingos para disputar provas de rua. Ninguém acorda cedo somente aos domingos pra correr. Quem corre, corre pelo menos dia sim dia não. Grandes, médios e até pequenos corredores são formados pela disponibilidade, insistência e desafios. Ninguém começa a correr sentado no sofá ou em frente a internet! Corredores são feitos CORRENDO. Melhores profissionais são feitos utilizando seu tempo em busca de conhecimento, aprendizado, etc. Eus costumava reclamar muito da minha profissão, que eu não conseguia ser uma profissional melhor, ou então, vivia reclamando que corrida não era pra mim, que eu não conseguia, que isso, que aquilo, mas, tanto na profissão quanto na corrida, eu reclamava sem ter tentado, ser ter arriscado, sem ter ousado, reclamar não paga contas, reclamar não vai botar um par de tênis sozinho nos seus pés e correr por você. Apenas reclamar não resolve problema nenhum.

Ser saudável não é pra mim

Ser saudável, ter atitudes que mudem a rotina e seu dia a dia só depende de você.
Passamos muito tempo das nossas vidas torcendo o nariz pro jiló, para o quiabo e cada vez mais salivando pelo que a indústria alimentícia insiste em nos bombardear diariamente com sorvetes ilustradamente maravilhosos cheios de caldas de caramelo ou chocolate, ou quela batata frita crocante que a propaganda mostra no comercial do fast food famoso, e sim, nosso cérebro é condicionado a gostar destas coisas porque nosso paladar nos diz que isso é o mais gostoso. Mas não é o melhor para nossa saúde.
Ter hábitos alimentares um pouco melhor começa por tentarmos experimentar novos sabores. Ninguém pode dizer que não gosta de jiló por exemplo, se nunca tentou comer pelo menos três vezes nas refeições e com fome. Ninguém pode dizer que a couve refogada não é gostosa se na hora de colocar no prato, você optou pelo pastelzinho frito que estava lá chamando por você no buffet. Suas escolhas determinam como sua saúde se desenvolverá. Amo o pastelzinho do buffet, mas ter o mindset de que a couve vai ter fazer muito melhor que o pastelzinho é uma questão ded educação dos hábitos. E essa educação traz resultados, e não digo apenas estéticos, trazem resultados diversos. Melhoram o humor, melhoram a disposição, o relacionamento com as pessoas. Alimentação deveria ser tratado nas famílias e escolas como assunto primordial, porque alimentação está diretamente relacionada à nossa saúde. É muito prático e fácil comer um  brigadeiro ou uma coxinha quando se está com pressa, mas isso não vai te ajudar a resolver seus problemas de obesidade, pressão alta, colesterol. Isso não vai trazer nenhum benefício. Também não estou dizendo que nunca comer esse tipo de coisa é a solução. Mas devemos pensar o que colocamos da nossa boca pra dentro vai nos agregar. Qual é a relação que mais benefício vai nos trazer? É difícil mas é um exercício que eu gosto de fazer, e em 100% das vezes dá super certo!

Eu não consigo

Essa era a frase mais repetida por mim há quatro anos atrás.
Eu não posso porque… Eu não consigo porque… Eu não sei fazer porque… Essas eram as desculpas.
Emagrecer nunca foi uma opção pra mim porque eu realmente nunca levava nada a sério. Correr pra mim não era uma opção porque eu nunca havia tentado, persistido… Comer melhor não era uma opção porque sempre tinha uma opção mais rápida, mais gostosa e mais barata…. E assim por diante.
Tudo que enfatizamos o “Eu não posso” ou “Eu não consigo” se tornam uma regra em nossas vidas. Você nunca vai saber se gosta de uma atividade, esporte, hobby se não começar por algum lugar.
Deixar o não de lado pode parecer difícil no início, mas o “Sim, vamos tentar” pode abrir muitas portas. E mesmo ao tentar dar um rumo diferente à carreira, ou dizer sim pra algo diferente pode desencadear uma avalanche de coisas boas nas nossas vidas. É apenas questão de exercitar. Eu passei a vida toda dizendo não pra muita coisa, atividades físicas, novas oportunidades de aprendizado, novos amigos, novos ares. Mas quando você diz sim para algo, não sabe o quão maravilhosa pode ser a recompensa pra você lá na frente! Basta tentar.

O poder do hábito

Do mesmo jeito que “A palavra tem poder” tudo o que você diz que não consegue de fato não conseguirá, o simples hábito de comer um pacote de biscoito recheado no café da tarde torna você eternamente escravo deste hábito.
A indústria alimentícia faz de tudo para nos viciar em alimentos desenvolvidos por ela, para que cada vez mais você compre, consuma e se torne dependente. Ter o hábito de comer uma fruta, ou um alimento mais natural também pode se tornar um hábito, basta exercitar. Não fique escravo da alimentação fácil, prática, rápida e gostosa mas que é totalmente prejudicial à nossa saúde. Lembre-se, o melhor fast food do mundo, incluindo valor nutricional e benéfico à saúde é a banana. Já reparou como ela é rápida, prática e fácil de carregar? Crie um hábito saudável, inclua frutas na sua alimentação! Você só tem a ganhar!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s